Projetos de Pesquisa

Mecanismos de estabilização e saturação de carbono em solos de ambientes sub(tropicais) do Brasil.

Sistemas conservacionistas que promovam o elevado aporte de resíduos, com maior retorno de C ao sistema, ou práticas que diminuam a oxidação da matéria orgânica, através da manutenção da estrutura do solo, promovem o aumento de C no solo ao longo do tempo. O sistema de plantio direto (SPD) é uma importante prática conservacionista que, aliado a rotação de culturas, tem proporcionado acúmulo de C tanto em regiões de clima temperado, quanto em regiões de clima (sub)tropical. No entanto, ainda não existe um entendimento claro da capacidade de cada solo em estocar C, ou seja, não se sabe ao certo se os estoques de C aumentam infinitamente com essas práticas conservacionistas ou se há um limite máximo para a estabilização de C no solo. O objetivo do projeto é avaliar, através da análise de experimentos de longa duração da região (sub)tropical do Brasil, com variação no ambiente, tipo de solo, sistemas de manejo e aportes de C, a possibilidade de saturação de C, no solo inteiro ou em específicos compartimentos de C, e, em experimento de laboratório, avaliar os mecanismos de migração do C derivado da decomposição de resíduos de plantas (parte aérea e raízes), visando identificar a capacidade máxima de estoque de C, em diferentes solos e camadas desses solos.

Compartimentos da matéria orgânica do solo, balanço e potencial de seqüestro de carbono afetado pelo manejo associado a sistemas de produção em ambiente subtropical e tropical

Descrição: As alterações no clima têm causado inúmeros prejuízos à agricultura, seja pela ocorrência de longos períodos de estiagem reduzindo o potencial das colheitas, ou de eventos com intensa precipitação pluviométrica causando a erosão dos solos. A busca por sistemas de manejo do solo que harmonizem o desenvolvimento de novas tecnologias com a viabilidade econômica e a minimização do impacto ambiental com a redução das emissões de gases de efeito estufa tem sido o desafio dos produtores rurais e da comunidade científica nas ultimas décadas. O plantio direto (PD), introduzido na região Sul do Brasil há mais de trinta anos, vem se consolidando como uma alternativa que integra essas ações. Os principais argumentos favoráveis à adoção desse sistema de manejo associam o controle da erosão dos solos à redução dos riscos causados à crescente sazonalidade na distribuição das chuvas com a melhor adequação da semeadura nas épocas que propiciam alcançar o maior potencial de produção, além da redução dos custos de produção. Na década de 1982 a 1992 a expansão do PD foi lenta e cresceu a uma taxa de 0,112 milhões de ha ano-1 e foi cerca de 4,87 vezes superior ao período inicial de 1972 a 1982. A grande expansão do PD ocorreu no período de 1993 a 2002 atingindo 15,62 vezes superior ao período anterior. Atualmente esse sistema de manejo do solo expandiu-se para as principais regiões produtoras de grãos, fibras e derivados animais e está crescendo a uma taxa de 1,75 milhões de ha-1 ano-1 e representa aproximadamente 52% da área de cultivo no Brasil. A dimensão continental do território brasileiro inclui enorme diversidade de climas e solos e, essas diferenças têm desencadeado a necessidade de adaptação de várias combinações de culturas que atenda ao perfil regional. A presente pesquisa tem como objetivo avaliar os mecanismos de proteção do carbono possibilitando a comparação entre ambientes (subtropical e tropical), além de avaliar o potencial de diferentes solos no acúmulo de carbono.

Impacto de resíduos orgânicos de abatedouro de aves e suínos na qualidade do solo, no seqüestro de carbono e na resposta das culturas de inverno e verão na Região dos Campos Gerais

Descrição: Na região dos Campos Gerais (aproximadamente 275.000 ha de agricultura) a produção de resíduos orgânicos oriundos de abatedouros de aves e suínos é estimada em 10.000 ton/ano-1, o que representa aproximadamente 2,18 (6000 ha) a 7,27 % (20.000 ha) da área total. Nesse sentido, este trabalho tem o objetivo de avaliar o impacto do uso de resíduos de aves e suínos como biofertilizante na qualidade do solo, no seqüestro de carbono e na resposta das culturas de inverno (trigo e cevada) e verão (feijão, milho, soja). O objetivo deste trabalho é avaliar o impacto do uso de resíduos de aves e sinos como biofertilizante na qualidade do solo, no seqüestro de carbono e na resposta das culturas de inverno (trigo e cevada) e verão (feijão, milho, soja).