HISTÓRICO

 

O Departamento de Química da UEPG originou-se do Departamento de Físico-Química criado em 06 de maio de 1966, na então Faculdade Estadual de Farmácia e Bioquímica de Ponta Grossa. Em 31 de agosto de 1967 passou a ser denominado Departamento de Química na mesma Faculdade, sob a chefia do Professor Alfredo Berger.

Com a criação da Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG, em 06/11/69 através da Lei Estadual nº 6.034, as faculdades estaduais foram incorporadas à Universidade, dentre as quais a Faculdade Estadual de Farmácia e Bioquímica, da qual fazia parte o Departamento de Química, através do Decreto nº 1.811 de 28/01/1970.

Em 1972 a partir da Reforma Universitária, o Departamento de Química passou a fazer parte do Setor de Ciências Exatas e Naturais. A reorganização da estrutura universitária foi desencadeada a partir de um grupo responsável pela implantação desta reforma, através de reuniões entre os membros dos Departamentos de Ensino, que foram distribuídos em grupos visando o planejamento de ações.

Em 14/01/1972, na sala nº 23 do Bloco A, Campus Central da UEPG, foram iniciados os trabalhos do Departamento de Química com a presença dos professores Alfredo Berger, Alberto Tammenhain, Alcione Borges de Andrade, Carlos Roberto Emílio, Jesuan Henrique Rupel, Maria Lúcia Wambier e Odeni Villaca Mongruel. Este último, além de Professor do Departamento de Química, foi nomeado como primeiro vice-Reitor da UEPG. Nesta primeira reunião foram traçados planos de ação entre os quais a departamentalização das disciplinas de química e, além disso, a eleição do professor Alfredo Berger, por unanimidade, como chefe dessa unidade departamental na nova Universidade. Também nessa oportunidade o professor Jesuan Henrique Rupel passou a exercer o cargo de secretário do Departamento, a convite do novo chefe.

No início, por falta de espaço físico, o Departamento de Química funcionou no próprio Laboratório de Análises Clínicas dos Professores Alfredo Berger e Jesuan Henrique Rupel, situado na Av. Vicente Machado nº 181, nesta cidade, onde inclusive as primeiras reuniões foram realizadas. Posteriormente, foi designada uma sala anexa ao Departamento de Farmácia, no Bloco A, Campus Central.

Ao longo de sua história, o DEQUIM sempre primou pela qualificação de seu corpo docente, sendo atualmente um dos mais titulados da UEPG. O primeiro professor do DEQUIM com Mestrado foi Kamal Tebcherani, que obteve seu título em 1978, no Instituto de Química da UNICAMP, Campinas, SP. A partir de 1991, com o regresso do professor Paulo Irajara Borba Carneiro, após doutorado também no Instituto de Química da UNICAMP, e posteriormente do professor Carlos Cezar Stadler, doutor pela UFSC, e notadamente com a contratação de vários doutores e mestres nos concursos realizados em 1993 e 1995, iniciou-se uma nova fase no DEQUIM, com formação de grupos de pesquisa e captação de recursos junto a órgãos de fomento e capacitação em nível de mestrado e doutorado dos professores que já faziam parte do quadro docente.

Em 2005, o primeiro Programa de Pós-Graduação stricto sensu, vinculado ao DEQUIM iniciou suas atividades. O curso de Mestrado em Química Aplicada, sob a coordenação do professor Dr. José Caetano Zurita da Silva, contou inicialmente com a participação de 17 professores, sendo 13 do DEQUIM e 4 do DEFIS.

Atualmente, o DEQUIM conta com 29 professores efetivos, todos doutores, sendo a maioria com dedicação exclusiva (93%).  O Departamento oferece disciplinas a 16 cursos de graduação na UEPG, entre os quais a Licenciatura em Química e o Bacharelado em Química Tecnológica. Há uma efetiva atuação na pós-graduação, destacando-se o Mestrado em Química Aplicada e o Programa de Doutorado em Química ofertado em associação UEPG/UEL/UNICENTRO, ambos aprovados pela CAPES. Professores do DEQUIM também fazem parte do corpo docente dos Programas de Engenharia e Ciência de Materiais, de Ciência e Tecnologia de Alimentos e de Bioenergia.